Comunicação é a segunda maior demanda dos negócios de impacto em crescimento ou escala

Apontamento foi feito pela 3º Mapa de Impacto Social+Ambiental, divulgado pela Pipe.Social


Uma das mais relevantes pesquisas nacionais sobre o mercado de impacto, o Mapa de Negócios de Impacto Social+Ambiental, chegou à terceira edição e confirmou uma tendência que já era percebida, mas foi intensificada a partir de 2020: a comunicação é um gargalo para as empresas do setor. O estudo elaborado pela Pipe.Social reforça que a busca por capital é acompanhada pela demanda por ações estratégicas de comunicação e apoio de mentores.


Para compor o estudo, foram considerados 1.272 negócios de impacto que estão em operação no Brasil. No quesito “Pedidos de Ajuda”, a comunicação aparece como terceira maior demanda dos negócios (21%), atrás apenas de mentoria (24%) e dinheiro (44%). No entanto, quando as respostas são divididas por fase na jornada empreendedora, o cenário muda. Para negócios que estão em crescimento (tração + pré-escala) e expansão (escala) os serviços de comunicação e marketing despontam em segundo lugar na lista de apoios buscados.


Nesta edição do Mapa, foi percebido que o empreendedor se mostra mais maduro e consciente da importância de se posicionar como um promotor de impacto socioambiental. “Os negócios que explicitam seu propósito de impacto em toda a sua comunicação institucional (interna e externa) tendem a ter uma liderança feminina e estarem em fases mais avançadas da jornada; também é um grupo que foi mais acelerado e investido, se comparado com a base geral”, indica o estudo.


No estágio de crescimento, os empreendimentos precisam ter os processos de marketing, venda e pós-venda bem estruturados para conseguir atender a demanda de clientes. Isso inclui fazer um bom plano de comunicação, manter as redes sociais ativas, produzir conteúdos especializados e email marketing.





Já na fase de escala, a comunicação externa ganha mais evidência. É o momento de mostrar o impacto que a solução está gerando e onde ainda pode chegar. Se a imprensa já mostra interesse em negócios de impacto em crescimento, na fase de escala dão ainda mais repercussão. Para aproveitar as oportunidades, os negócios podem apostar media training e assessoria de imprensa. O melhor mesmo, é que, desde o início, os empreendimentos tenham uma estrutura de comunicação e marketing. Quanto mais consolidada e alinhada ao propósito ela for, melhor será a reputação da marca diante de clientes, investidores e público em geral.





O mundo na pandemia


Para levantar dados que permitissem entender o impacto da pandemia nos negócios de impacto, a Pipe.Social contou com respostas de 495 deles. Um dos achados da pesquisa é que, nesse período, a medida mais adotada pelos negócios de impacto foi implementar ações de marketing e promoção do produto/serviço (25%). “Em conjunto com a abertura de novos canais de venda (20%, 3ª medida mais mencionada), os dados indicam que as mudanças impostas pelos distanciamentos na forma de se vender – que tanto beneficiaram varejistas online – também parecem ter ressoado entre os negócios de impacto, que buscaram inovar na forma de chegar a seus clientes”.


Para conferir o mapeamento na íntegra, acesse www.mapa2021.pipelabo.com


Comunique sua causa


Desde 2016, a DePropósito Comunicação de Causas atua fortalecendo organizações e negócios focados em impacto socioambiental. Por meio de assessoria de imprensa, produção de conteúdo e consultoria, geramos exposição midiática positiva, mobilizamos a sociedade em torno das mais diferentes causas e ajudamos a construir um mundo melhor. Fale com a gente para saber como podemos ajudar o seu negócio de impacto.

Posts Em Destaque
Posts Recentes