Campanha Janeiro Roxo desperta atenção ao dignóstico e tratamento de hanseníase

Ao longo de todo mês o Instituto Aliança Contra a Hanseníase realizou ação de conscientização em todo país. A ONG é parceira da DePropósito desde a sua fundação, no início de 2019.


Janeiro é o mês em que a comunidade dedicada ao combate à hanseníase reúne esforços para conscientizar sobre a gravidade da hanseníase e a importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado. Batizado de Janeiro Roxo o mês concentra uma série de ações educativas que são articuladas por diferentes iniciativas, tanto do poder público, privado e terceiro setor.


Em parceria com instituições de saúde, órgãos de saúde pública e profissionais de saúde, o Instituto Aliança Contra a Hanseníase distribuiu, ao longo do mês, 5 mil laços da campanha em nove estados brasileiros: São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Pernambuco, Maranhão, Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul e Paraná. Com exceção da região norte, todas as regiões do país receberam as fitas da campanha, que chegaram a diferentes localidades por meio das secretarias de saúde e profissionais de saúde parceiros da ONG. “Uma das missões do Janeiro Roxo é a conscientização. As fitinhas roxas que pacientes e equipes de saúde usam no peito são uma lembrança singela de que a hanseníase ainda existe e, sim, tem cura!”, ressalta Dra. Laila de Laguiche, médica fundadora da organização.


Ordem de Malta se une à AAL e anuncia parceria inédita no Brasil

Também no mês de janeiro, a Companhia Internacional da Ordem de Malta contra a Hanseníase (CIOMAL, na sigla em francês) firmou parceria com o Instituto Aliança Contra Hanseníase (AAL, na sigla em inglês) para atuar em território brasileiro, especialmente no Mato Grosso, categorizado como estado hiperendêmico para doença. Essa é a primeira vez que a instituição de reconhecimento internacional e trajetória de mais de seis décadas de atuação no combate à hanseníase desenvolve atividades por meio de ONGs brasileiras.


A união entre AAL e Ordem de Malta inclui apoio institucional e financeiro, na escala de US$ 70 mil, que serão aplicados em projeto que a Aliança Contra a Hanseníase já desenvolve no Mato Grosso. O projeto de cooperação técnica tem o aval da Secretaria de Estado de Saúde e visa capacitar as equipes da região e apoiar os profissionais locais do aprimoramento ofertado pela saúde pública. Com investimento na especialização de enfermeiros, médicos e terapeutas ocupacionais, a iniciativa pretende antecipar o diagnóstico de hanseníase e estabelecer um protocolo de atendimento mais eficiente para pacientes em tratamento. “A expertise que a CIOMAL detém ao redor do mundo, com vasta experiência na doença, nos permite unir forças para atacar o problema da negligência em uma região sensível, no segundo país do mundo com maior número de casos”, destaca Dra. Laila de Laguiche, presidente da AAL. “Estamos muito contentes com essa colaboração voltada à formação e transferência de conhecimento. Essas parcerias são essenciais para o avanço no controle da doença”, afirmou o presidente da CIOMAL, Thierry Zen Ruffinen.


Por meio de recursos estatais – como a disponibilização de um caminhão que servirá como sapataria ortopédica digital e itinerante – os pacientes de hanseníase de regiões de difícil acesso do Mato Grosso poderão ser assistidos com mais qualidade. Já os médicos da região serão conectados pela AAL a especialistas na doença, que serão preparados para oferecer teleconsultas.


A parceria foi oficialmente comunicada pela presidente e fundadora da AAL em webinar organizado pelas autoridades de saúde do Mato Grosso nesta terça-feira (26), Dia Nacional de Combate e Prevenção à Hanseníase. O evento pode ser acompanhado online.


Posts Em Destaque
Posts Recentes