top of page
  • DePropósito Comunicação

Vivalá e Pantys realizam ação contra pobreza menstrual e imersão cultural em terra indígena guarani


A pobreza menstrual e a saúde das pessoas que menstruam é um assunto que começou a ser debatido com maior clareza e recorrência nos últimos anos. Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), um em cada quatro jovens no Brasil não têm acesso a produtos menstruais, e 713 mil meninas vivem sem acesso ao banheiro ou chuveiro em seu domicílio. Algo tão presente para a realidade de alguns, é, ao mesmo tempo, tão distante para outros. Apesar de existirem alguns projetos que arrecadam e distribuem absorventes descartáveis para pessoas em situação de vulnerabilidade, isso acaba gerando novos desafios.


O problema é que, segundo um levantamento feito pelo Instituto Akatu, uma pessoa, durante toda sua vida menstrual, pode utilizar até 15 mil absorventes descartáveis e acumular mais de 200 quilos de resíduos que não podem ser reciclados, como, por exemplo, o plástico, que compõe cerca de 90% de um absorvente. A maioria das comunidades tradicionais, por exemplo, não conta com coleta de lixo municipal, muito menos opções sustentáveis para o descarte de absorventes e acaba, muitas vezes, queimando seu lixo e poluindo o meio ambiente.


A Terra Indígena Tenondé Porã (SP), que contempla 10% da maior cidade da América Latina, lar da maior população Guarani Mbya no Brasil e localizada a apenas 55 km do centro da capital paulista, também tem suas dificuldades, em específico pela falta da coleta de lixo. Não ter um espaço adequado é prejudicial para a saúde da comunidade e para o meio ambiente. “Grande parte das mulheres da aldeia utilizam absorventes descartáveis, e algumas usam panos, que muitas vezes geram alergias recorrentes”, afirma Jerá Guarani, liderança indígena da TI Tenondé Porã.


Para auxiliar na saúde menstrual destas pessoas, no dia 30 de setembro a Vivalá - Turismo Sustentável no Brasil e a Pantys vão realizar um dia de imersão cultural na aldeia com 40 vagas disponíveis, em uma programação criada e já realizada entre os guaranis e a Vivalá, separando parte do dia para a realização da doação de calcinhas absorventes e sustentáveis da Pantys e uma roda de conversa sobre saúde menstrual com dicas para utilizar as soluções da Pantys. A inscrição subsidiada custa R$ 180 e pode ser feita aqui. A experiência contempla transporte ida e volta para a aldeia a partir da estação Ana Rosa do metrô; roda de conversa com lideranças indígenas; coral guarani; almoço tradicional; visita à agrofloresta e a ação de doação e conscientização, fechando o dia na casa de reza guarani. “O encerramento da Expedição com a cerimônia na casa de reza guarani é bastante forte e especial. É uma forma de honrar as tradições ancestrais daquela comunidade e finalizar o dia de imersão de uma maneira bastante emocionante para os visitantes”, ressalta Daniel Cabrera, Diretor Executivo e Cofundador da Vivalá.


A parceria

Vivalá e Pantys são empresas referência em sustentabilidade em seus setores de atuação. Cerca de 80% das viajantes da Vivalá são mulheres, assim como a maior parte dos quase 700 parceiros comunitários em todo o Brasil. "Concretizar um projeto como esse é muito impactante para todas nós, mulheres. Toca em um espaço especial do coração. A saúde menstrual é um tema fundamental para a sociedade e ainda é tabu para muitas pessoas. Uma parceria entre duas empresas tão comprometidas com a sustentabilidade e o impacto socioambiental positivo tem um significado muito profundo e transformador”, afirma Maria Fernanda, consultora de projetos da Vivalá no Brasil.


A Vivalá visa atuar de forma realmente sustentável e responsável em todos os seus pilares. "Temos orgulho de criar um ambiente seguro e acolhedor em nossas expedições para as mulheres. Agora, queremos ir além, incentivando que nossas viajantes tenham hábitos mais sustentáveis em relação a sua saúde menstrual durante o período de viagem, além de fortalecer mulheres de toda a nossa rede de parceiros comunitários ao redor do Brasil para que tenham saúde e bem estar. Queremos, por fim, somar em parcerias como as que estamos fazendo com a Pantys para contribuir de uma maneira holística e positiva na vida das comunidades tradicionais brasileiras. Estamos abertos para construir em conjunto com outras organizações que queiram, verdadeiramente, contribuir, como a Pantys”, pontua Daniel Cabrera.


A Pantys, por sua vez, só em 2022 doou mais de R$ 326 mil em produtos menstruais e é uma grande aliada na missão de fortalecer a saúde menstrual feminina. “Além das calcinhas que nos comprometemos a doar, leitores dessa notícia, clientes Pantys e viajantes Vivalá podem aumentar o impacto da ação por meio da doação no link https://pobrezamenstrual.com/products/doacao-para-tenonde-pora que reverteremos integralmente para aumentar as doações realizadas”, destaca Emily Ewell, fundadora e CEO da Pantys.


Resumo da Ação

Expedição de turismo sustentável na Terra Indígena Tenondé Porã (SP) - Imersão cultural com um momento de doação de calcinhas absorventes sustentáveis e roda de conversa sobre saúde menstrual para pessoas indígenas que menstruam.

Data: 30/09/2023, das 12h às 22h30 Saída e retorno: Estação Ana Rosa do metrô Destino: Terra Indígena Tenondé Porã Para realizar doações: https://pobrezamenstrual.com/products/doacao-para-tenonde-pora Para participar: https://vivala.com.br/expedition/aldeia-tenonde-pora-cultural-pantys-2023-desconto/

Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page