top of page
  • DePropósito Comunicação

Dicas e destinos para fazer uma viagem holística pelo Brasil


A rotina, a correria e o estresse do dia a dia fazem com que muitas pessoas desenvolvam síndromes mentais, as chamadas “doenças do século”, que vão desde crises de ansiedade, síndrome de burnout, depressão, ataques de pânico, entre outras. Uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz, em parceria com a Faculdade de Medicina de Petrópolis (RJ), mostrou que, em 2020, no início da pandemia, mais de 60% da população brasileira buscou por terapias alternativas.


Esses números estão relacionados a dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), que estima que quase 10% da população brasileira se sente ansiosa, o que representa 18,6 milhões de pessoas. Com o objetivo de aliviar os sintomas e diminuir as crises, muitos métodos têm sido procurados pela população, inclusive os alternativos. Terapias, viagens, atividades ao ar livre e esporte estão na lista. Há quem prefira uma simples caminhada na esteira, mas existem outras opções para fazer parte desse processo de tratamento, como as viagens holísticas.


Já ouviu esse termo? São destinos que buscam deixar o viajante mais próximo de novas experiências integrativas, o que inclui conhecer uma nova cultura, pessoas e paisagens, buscando sair da zona de conforto ou até mesmo encontrar um novo porto seguro. Estudos já comprovam que estar em contato com a natureza tende a aumentar o bem-estar mental, assim como fortalece o desenvolvimento cognitivo.


"Essa forma holística de encarar a vida, para a qual muitas pessoas acabam de despertar, faz parte da cultura e do modo de vida de indígenas e outras comunidades tradicionais. Com a pandemia, ficou ainda mais evidente a necessidade de vivermos em harmonia com o meio e de desenvolvermos nosso senso de coletividade. É o que diz Ailton Krenak em seu livro: o futuro é ancestral”, destaca Daniel Cabrera, co-fundador e diretor executivo da Vivalá - Turismo Sustentável no Brasil.


Opções de destinos holísticos

Um dos destinos procurados por viajantes do mundo inteiro é a Amazônia. O número de turistas que buscam a floresta como rota de passeio aumentou em mil por cento de 2021 para 2022, segundo dados do Governo do Estado. O coração do mundo é também a maior floresta tropical e detentora de uma enorme biodiversidade e culturas distintas. Em uma expedição para lá, é possível realizar uma imersão com comunidades indígenas e entender seus costumes, vivências, relação com as medicinas da floresta, mas também ter uma maior noção sobre a preservação de sua cultura e biodiversidade.


Alguns roteiros, além de serem holísticos, em sua grande maioria são sustentáveis e realizados com consciência socioambiental, principalmente as expedições de volunturismo, que são a forma mais profunda de imersão nas comunidades, e também as mais indicadas para quem quer mergulhar no ritmo e no modo de vida dos locais, criando fortes laços de amizade com a comunidade. Essas experiências estão disponíveis na Amazônia (AM), em meio à floresta e junto à comunidade ribeirinha, na Chapada dos Veadeiros (GO), na comunidade espírita da Cidade da Fraternidade, com vivência de ervas e espiritualidade, e na Chapada Diamantina (BA), com a comunidade quilombola do Remanso, onde se atua em quintais produtivos na platação e colheita.


A instrutora de Yoga Luiza Veloso já visitou a Amazônia duas vezes, além de outros destinos holísticos no Brasil e no mundo, e afirma que sua ligação com a natureza é de família. “Minha jornada com as ervas começou com minha mãe, muito cuidadosa com plantas e sempre me falando algo sobre elas. Hoje, sei a razão desse amor pela natureza: meus bisavós eram indígenas. Não tive a oportunidade de conhecê-los, mas sinto essa ancestralidade latente em mim. Por essa razão, fui buscar entender com mais profundidade o mundo das ervas, resgatando aquilo que meus ancestrais tanto lutaram para proteger”. Como fruto das experiências vividas, Luiza Veloso publicou, em parceria com a Vivalá, o eBook “Ervas Tradicionais da Amazônia”.


Para quem busca um destino com o propósito de viver experiências intensas, há outras opções, como conhecer a Amazônia por meio da expedição para o Rio Tapajós (PA) e ter contato com saberes tradicionais das comunidades ribeirinhas ou pela Aldeia Shanenawa (AC), onde o viajante terá vivência com a comunidade indígena, com medicinas da floresta, como por exemplo o chá de ayahuasca, rapé, kampô e sananga; banhos ritualísticos de argila e de ervas; cantos, danças, rezas, comidas típicas, entre outros.

“A viagem para a Aldeia Shanenawa foi uma das experiências mais profundas e, com certeza, única da minha vida, onde pude viver intensamente a cultura do povo local. É uma experiência interna e externa, onde renasci para tudo aquilo que importa e que talvez eu estivesse desconectada por conta de tanto ruído que a cidade traz. Além de ter vivido um processo de cura emocional e psicológica muito importante, fazer essa viagem é saber que nada mais na vida será como antes”, comemora Gabriela Servilla, que realizou a expedição em dezembro de 2022.

Roberta Serra também realizou o mesmo destino e afirma que a viagem serviu de aprendizado. “Desde a chegada do grupo me senti muito acolhida, todos nos trataram de maneira muito amorosa durante todo o tempo. Além de todo o aprendizado sobre plantas e medicinas da floresta, aprendi muito sobre afeto e cuidado. A vida em aldeia é compartilhar e cuidar. Gostei de todas as atividades e o tempo em que estivemos juntos, mas o constante ensinamento sobre a floresta, suas plantas e seus animais reverberam em mim até hoje. O banho de ervas e o de argila são restauradores, pra matéria e pro espírito, - como dizem os indígenas”.


Além dos destinos citados, retiros, ritualísticas ou roteiros voltados à preservação e valorização da cultura ancestral podem ser um bom caminho para quem busca conhecer outras culturas existentes no Brasil. São diversas as opções, entre elas o Retiro Piracanga e o Retiro do Silêncio. Lá, é possível ter contato com atividades como o Yoga, alimentação detox, um estilo de vida mais saudável e momentos de plena concentração e meditação.


Medicinas da Floresta

O ayahuasca é uma mistura de duas plantas amazônicas, o cipó-jagube e o arbusto-chacrona e possui nome de origem indígena. Apesar de ser utilizado há centenas de anos por povos da América do Sul, exclusivamente em rituais religiosos, há algum tempo a bebida teve um destaque maior, se tornando mais popular. Seu uso para fins religiosos é permitido no Brasil pelo Conselho Nacional de Políticas Sobre Drogas (CONAD).


"As medicinas da floresta são parte integrante da cultura Shanenawa e, portanto, estão presentes na expedição pela aldeia. A consagração do Uni - como é chamada a ayahuasca pelo povo Shanenawa -, costuma ser um dos pontos altos para muitos viajantes, que assinam uma ficha de anamnese para verificar se estão aptos a realizar a ritualística. Entendemos que essa experiência é uma maneira de contribuirmos para a preservação dos saberes ancestrais e o combate ao preconceito em relação a essas práticas", explica Daniel Cabrera.


Outro destino, ainda pouco conhecido dos brasileiros, mas chancelado pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) como um Patrimônio Geológico de relevância mundial, é o Geoparque Seridó (RN). Seus 2.800 quilômetros quadrados oferecem ao viajante possibilidades de explorar um patrimônio cultural, geológico e histórico, incluindo vistas de tirar o fôlego e visita ao Portal do Universo, onde há a opção de meditar contemplando o pôr do Sol com aplicação de Reiki, uma terapia integrativa reconhecida pela OMS e aplicada no Sistema Único de Saúde (SUS).

Dicas e cuidados ao realizar sua viagem holística

Ao realizar uma viagem holística, é necessário estar atento a alguns pontos, para que o passeio aconteça da melhor forma possível e não ocorra imprevistos. Confira algumas dicas que podem te ajudar:


- Buscar empresas e profissionais competentes e habilitados: tão importante quanto escolher o roteiro de viagem, é decidir a empresa responsável pelo seu sonho. Opte por empresas que tenham informações explícitas em relação ao roteiro, que possua profissionais capacitados para o acompanhar nos dias de lazer e também organizações que de alguma forma contribuam para o desenvolvimento socioambiental do local visitado;


- Conferir avaliações de viajantes: ouvir comentários de pessoas que já realizaram a viagem é um dos melhores caminhos para escolher a empresa. Procure em grupos, redes sociais ou até mesmo entre em contato com os viajantes. O site Tripadvisor pode ser utilizado nesta busca;


- Respeitar a cultura de povos ancestrais, evitar estereótipos ou banalizações: o Brasil é um país com uma ampla extensão, o que proporciona uma diversidade cultural e diferentes formas de viver dos seus povos. Ao conhecer novas culturas, muitos dos costumes e manifestações locais podem ser diferentes do que você está acostumado. Lembre-se que o seu modo de vida também pode soar estranho para eles.

Comments


Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo
Procurar por tags
Siga
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
bottom of page