• Lucas Vasconcellos

Carreira pós-coronavírus: 20% das profissões pode adotar home office de forma permanente


Pandemia tem alterado as estruturas do mercado de trabalho. Para consultora, cabe às organizações e profissionais se adaptarem e criarem novas oportunidades em meio a crise


O novo coronavírus transformou completamente a rotina da maioria das pessoas. Empresas e pessoas do mundo todo precisaram se adaptar e alterar processos de trabalho, adotando muitas vezes o trabalho remoto, em casa, como opção para continuar produzindo sem comprometer a segurança. Segundo estudo realizado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o teletrabalho será possível para 22,7% das ocupações no Brasil. Ou seja: uma a cada cinco profissões no Brasil pode adotar o home office.


A adaptação ao escritório em casa pode se tornar, no futuro breve, mais que uma necessidade, mas uma preferência. Uma pesquisa da ISAE Business School aponta que 80% dos gestores que adotaram o sistema de trabalho a distância afirmam gostar da nova maneira de trabalhar. De acordo com Mônica Vialle, master coach em lideranças e gestão de tempo, isso pode se consolidar porque muitas empresas vão optar por fechar estruturas físicas e trocá-las pelo trabalho à distância, transformando a casa dos colaboradores em pequenos escritórios individuais. “As pessoas precisam se acostumar com a tecnologia e aprender a usá-la, pois ela tem sido o caminho que soluciona vários problemas e tem diversos benefícios”, explica.


O local de trabalho não está mais diretamente vinculado a um endereço específico. As novas tecnologias permitem acessar e-mails, documentos e interagir com equipes de qualquer lugar do mundo. A execução de atividades profissionais em casa não é mais novidade. Para a consultora, a crise causada pela Covid-19 apenas acelerou o processo de adaptação a esta realidade, que pode ser considerada o “novo normal”. Vialle ressalta que o período de crise atual alterou o ritmo e é necessário ceder para se acostumar. Assim, as empresas precisam recuar, ter flexibilidade com os salários e até mesmo pensar em outros negócios.


Era do Medo

Mônica Vialle também destaca que estamos em uma época baseada em medo e insegurança psicológica. “O medo está muito presente em nós, mas é possível transformá-lo em potencial para não deixar as coisas desmoronarem”. Embora esse sentimento exista, é possível utilizar dele para criar novas oportunidades para si mesmo, explorando o seu potencial. Uma dica é justamente olhar para o que está sendo feito e pensar “o que eu posso fazer dentro de casa com o meu potencial? Quais cursos posso fazer? Que serviço posso oferecer?”. É necessário justamente desenvolver uma alteração da mentalidade, de olhar para uma situação e tentar enxergar uma chance de criação de negócios, mesmo nas situações mais simples.


Sobre Mônica Moraes Vialle e MOOM Consultoria

Sócia e diretora da MOOM Consultoria e Coaching, empresa binacional com sedes no Brasil e em Portugal. Master coach, consultora e palestrante, obteve sua formação coaching junto as mais importantes instituições nos EUA: Ohio University, Florida Christian University e no Brasil: Instituto Brasileiro de Coaching - IBC, Sociedade Brasileira de Coaching - SBC e Instituto Holos. É mentora e consultora em Liderança, Coaching, Arquitetura, Urbanismo e Real Estate. Mestre em Arquitetura pela Universidade de Lisboa, em Portugal, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela PUC, técnica em Edificações pelo Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, cursou MBA em Gestão de Negócios de Incorporação e Construção Imobiliária, e especialização em Real Estate. Seu histórico profissional passa por mais de 20 anos em posições de liderança em empresas importantes no Brasil.

Posts Em Destaque
Posts Recentes